Para que servem as operações estruturadas?

Existe um modelo de operação de mercado, chamado operação estruturada, que pode potencializar seus ganhos na bolsa de valores combinando ativos no mercado, por exemplo ações com o mercado de derivativos. Em outras palavras, a proposta das operações estruturadas é oferecer a segurança dos derivativos com os potenciais ganhos da renda variável. 

Para que serve uma operação estruturada?

Uma operação estruturada pode servir, majoritariamente, para hedge, alavancagem ou arbitragem.

Uma operação estruturada serve como hedge porque o derivativo combinado com o ativo limita a sua exposição e sua volatilidade no mercado.

Pode servir também como alavancagem, pois o derivativo, quando tem preço menor que o ativo em si, possibilita que o investidor aumente sua exposição.

Ou, ainda, serve como arbitragem, travando o ativo em determinado ponto para conseguir ganhos.

Quais são os tipos de operações estruturadas existentes?

Existem diversos tipos de operações estruturadas, cada uma atendendo a diferentes propósitos. 

Dentre as operações mais comuns, destacam-se booster, collar, seagull, borboleta, rubi, condor, fence, fly, NDF, financiamento, strangle, straddle e calls e puts associadas com diferentes derivativos.

Mas afinal, operação estruturada não é o mesmo que COE?

O COE (Certificado de Operações Estruturadas) é um tipo de operação estruturada de baixíssimo risco, porém, é apenas um dos tipos possíveis de operações que seu assessor pode sugerir para potencializar seus ganhos.

Se interessou pelas operações estruturadas? Contate um de nossos assessores para que eles te alertem as melhores oportunidades do mercado para maximizar ganhos através destas operações!

Deixe uma resposta